Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Traz pão

Tudo é vão

As bençãos do estado sobre nossas cabeças
As castas históricas
A nossa indiferença
A rotina matando a vida
A violência capital da miséria
A poluição diária
Os rios de carros nas cidades
O lixo nos bueiros
O remédio goela abaixo aplicado aos diferentes
O sopão
O metal nos mesmos bolsos
A ausência de vinho em quase todas as mesas
As mascaras no chão

Eu sei

Mas que custa, pelo menos por um misero segundo, antes do ato
ouvir o coração?

Até as frias máquinas
sabem como é doido, doido, doido...
achar sentido na nossa pobre repetição

Vem meu amor

Que as vezes só o seu sorriso
me salva
e
faz com esse (às vezes perdido) mundo
o milagre do pão.

Últimas postagens

Antes de sair

Céu

Os equilibristas

Teia

O gato

Aviso

Fotopoesia

A curva

Calor

Em fevereiro