Consideração

Jovens curtem o pier (atracadouro) e praia. Uma festa só. Alegria e diversão. Wolk Shop com Walter Firmo, 2008. Beira Mar, Ribeira. Salvador, Bahia.
Tonny Bittencourt's photos, Todos os direitos reservados.
http://www.flickr.com/photos/tonnybit

--

Não achei a letra. Mas era mais ou menos assim:

"Deus de todas as coisas..., de todas as esquinas.., na moral..., leve em consideração, não faça da vida algo assim sem sentido..."

Pedia consideração, acho que é o nome da música. Consideração.

Seguia cantando que por Deus ele baixava a cabeça, reduzia o passo, fazia aí um bocado de coisas, mas que pelo menos que em "contrapartida", Deus não fizesse da vida algo vão.

É...

Fiz na viagem livre uma associação diferente. Uma outra ponte.

Fiquei pensando que as vezes a gente pede a Deus o que não está nem um pouco disposto a fazer, nem enfrentar.

Um exemplo é a dor, e entre todas, a preferida, a "nossa" dor de amor

Uma vez eu tava num barzinho e a mãe de um amigo de uma amiga minha, pediu um cigarro a alguém pra mim, mas só servia se fosse aceso.

Não fumo. Não gosto. Cuido da minha saúde.

Ela se ofereceu pra apagar o cigarro aceso no meu braço.

Ela riu quando eu olhei.
Mas falou sério, se eu queria sofrer, assim era mais rápido. Facilitava as coisas.

Olhou na mesa e disse que também tinha a garrafa de cerveja, ela podia pensar em algo como por exemplo, despejar na minha cabeça...

Demorou até entender a viagem dela e a ficha cair.

Ela viu que eu tava na fossa.
Deu jeito de dizer que não adiantava ficar sofrendo.
A galera riu. Era o jeito dela.

Mas deu a chance pra eu rir e brincar com a "minha" dor.

Hoje acho que entendo as coisas que passei.
Via aquela dor e a causa dela de várias formas confusas,

Na verdade eu é que deixava que aquela pessoa fosse assim pra mim.
Não queria acreditar que pessoas assim, por elas próprias, não tinham de fora para dentro motivação para mudar. Causam essas coisas mesmo ou pior.

Senti mais do que pensei aquele momento.

A dor, eu achava que era só minha. Exclusiva. Especial. Particular. Única.
Parecia que ninguém no mundo tinha uma igual, que só eu a conseguia sofrer assim.

Ela, que era ponte inconsciente para o que eu amava ou achava que amava.

Ela que se tirada de mim ia deixar um vazio no lugar, um nada parecido com solidão que eu não ia saber como lidar.

Não. Ninguém tasca.
No meio do furacão não dá pra acreditar nesse papo de poder transforma-a-dor.

Essa mistura toda foi boa porque me acordou. Olhei ao redor

Vi de novo o que havia além de mim e do meu umbigo.

Comentários

Os textos estão cada vez melhor. Fazia tempo que não vinha aqui, mas sinto que está num melhor nível consciente de entendimento sobre você mesmo.

ahhhh as dores.... as belas e sofridas dores do coração que vem com vendavais e mexem com nossa vida.

Realemtne. todos nos a sentimos e ainda assim quando sentimos parece que só nós passamos por isso.

abraços.
Vandré disse…
Valtinho...primeiro, parabéns pela lucidez e conhecimento (próprio) que vc alcançou através dessa experiência...acredito que não estamos aqui por acaso...estamos caminhando sobre a terra para aprendermos (principalmente) algo positivo com os caminhos "tortuosos" que escolhemos seguir...fiquei muito feliz pelo que li...estarei sempre na torcida por sua felicidade..
Abraços

Postagens mais visitadas