Menos poesia

Metafísica: Orun x Aiyê - Yemanjá.
Tonny Bittencourt's photos, Todos os direitos reservados.
http://www.flickr.com/photos/tonnybit
-

É isso aí.

Não tou a fim.
Não quero saber noticias.
Não ouvi o rádio hoje.

Quase que não ouvi música do mundo.
Não essas pelo menos.
Fechei a aba dos jornais.
Nem Tv nem a vida dos outros.
Não quero ver as opções.
Selecionei já o que eu quero.
Não quero mudar.

Fui ajustar bicicleta. Aprender ela de novo.
Beber músicas com poesia misturada no documentário Vinicius.
Viajar com a quadrilha de São João improvisada na rua.

Dirigir descalço. Sem camisa.
Arrastar as sandália e o tempo.
Aproveitar a existência das balas de jenipapo. Três.

Respirar o quintal bem devagar.

Sair da quinta para a segunda, depois primeira. Reduzir. As espectativas.
Depois deixar na banguela e ver...
Que dependendo da sua viagem ir é mesmo é tão bom quanto chegar.

Olhar o mar do céu pra saber do tempo
Descansar os olhos no céu do mar.

Mar, me dê essa chance todo dia.

Respirar.

Olhar dos olhos pra fora o que só o meu olho vê.

Brincar com a idéia do homem como pano de fundo do mundo.
Rir da piada de fundo.

Viajar no humor inteligente de Deus.

Agradecer o seu equilíbrio infinito em tudo.

Que ele realmente nos olhe com olhos de pai.
E nos perdoe o que estamos fazendo com o seu mundo e com nós mesmos.

Rezei junto a mim mesmo pelos seus atributos infinitos.
Rezei pra que haja no meio deles uma paciência eterna.

Nós precisamos muito.

Comentários

Postagens mais visitadas