Último

(rascunho)

Ele precisava começar.
Tinha de escrever por que...
Porque era diferente dessa vez porque...
não ia escrever mais pra ela e sabia disso

Mas não conseguia ficar quieto na P... da cadeira
Ajeitava tudo toda hora
Tava nervoso de pensar
tentou soltar o ar bem devagar.
Tirou as mãos do teclado.

Nada.

Suspira m
ais uma vez.
Solta o ar mais lento ainda.

Só piora.

Cara, que é isso?
É mais fácil escrever lista telefónica que um e-email.
É DEFÚ uma coisa dessas.

Puxa a cadeira com raiva
e escreve de uma vez a frase em letras maiúsculas e aperta o botão na tela do computador sem olhar pra não arrepender

Bate o pânico:
E se ela não leu Neruda?
E se leu mais não leu "Confesso que vivi"?
E se não prestou a atenção justo na parte das batatas?

Pensou com raiva:

Olha mais um vez a pasta de itens enviados pra ter certeza!
Mas tava lá a frase seca e em letras maiúsculas:

"BATATAS NOS SEPARARAM"

E pronto, não tinha nem ponto final, nada.
se ela tiver coração vá ler Neruda
se não, aí é que não serve mesmo.

Problema!...
dela!...

Saco cheio.
Liga o som no ouvido no máximo
desliga as batatas,
o coração
e o resto
.

Comentários

Postagens mais visitadas