Reforma

O pedreiro que encaixava palavras
na construção
para e respira um pouco.

Nunca teve estudo para isso

Vê que cria com as mãos
sem rascunho
nem nada pra guiar,

Não pensa muito,
aprendeu sozinho a misturar bloco,
letras, frases, areia, acentuação e cimento
na sua reforma
e isso era suficiente.

As vezes queria ser como os outros...
esse pessoal engraçado que fala de poesia,
fragilidade dos limites e da vida,
esses que se mudam com olhos e tudo
para lugares que nem existem.

Tinha um pouco de inveja,
fazer sonhos parece mais fácil, pensava,
não tem patrão

Mas preferia o que parecia mais real
e mais perto do seu mundo:
a própria fome.

Comentários

Postagens mais visitadas