No quintal

Botei branco nos muros
pra gente pintar o sete
com as cores
e nossas luzes

Vou chamar todos que existam com uma fome assim
não combina ter culpa em se descobrir
não preciso de desculpa pra reunir
arte, festa e amigos

Venha juntar a tudo isso uma poesia que você gosta,
letras de música, instrumento musical,
qualquer toque que coise a sua emocional mente
quem disse que o melhor do mundo pode ser tocado fisicamente?

Papel é bem vindo
papel de besta, de professor
papel de menino, de menina
até jornal de papel para a gente jogar hidro cor

Tintas, pincel, lápis de cor,
revista velha pra recortar sorrisos, traga tudo
recicle principalmente a dor e a solidão
a natureza agradece.

Um CD, um livro, uma máquina pra tirar fotos e filmar ideias,
uma coisa gostosa que você saiba fazer pra a gente comer
cozinhar e servir a quem se quer é uma arte

Uma bebida que sabe preparar
a vida que só você sabe preparar é arte, arte, arte
uma obra de arte que você fez e ninguém gostou,
sei lá, uma coisa que você viu e pensou...

Poooorra!
difudê,
vou levar pro quintal
vou querer no sarau!

Ninguém precisa se apresentar,
se não quiser..
mas se quiser,
bem...aí...é...ainda...melhor!

É só se sentir aquela monstruosa, aquela teimosa vontade de viver...

Comentários

Postagens mais visitadas