Natação

Ela me percebe na entrada do quarto
Abre um olho só
Vira de lado
Abraçando o ursinho

Quer dengo

Cubro ela com o lençol
Abraço

Humhum...
Responde na língua do sono
Quando pergunto pela natação

E nada pro meu ombro
Mergulha em meu peito
E flutua feliz

Adora uma asinha
Um cafuné

Totalmente segura
Viaja o corpo
E a alma num mar de movimentos involuntários

Enquanto eu sonhado acordado
atravesso
Sem ver
O teto

O ar
O tempo

Até  bater em minha percepção

Como é involuntário

(Meus Deus)

O mundo

E nós

Apenas um pulso.

Comentários

Postagens mais visitadas