Momento

Fotografei o instante querendo beber silencio e cores

Respirei no máximo

Troquei um impulso meu por cada detalhe na janela

E já ia embora

"satisfeito" para minha vida normal

Mas fui pensar (Ó sina...)

Que era uma pena não poder compartilhar aquilo

Voltei.

O avião passou
O galo cantou
Alguns vizinhos acordaram enquanto eu começava a gravar

ABSOLUTAMENTE nada ficou como antes...

Aí vi que viver é se jogar

Que nunca (pelo menos para mim) adianta apenas o ar

E que eu existo
é na batida expulsa do peito
circulada em todo o meu corpo
expressa em meu jeito

Será meu Deus que existir é um sopro?

E eu ignorante (Me perdoe...)

Tento pegar com minhas mãos o vento?

(Poema "psicografado" pela manhã. Quando sinceramente achei que ia apenas tirar uma foto...)

Comentários

Postagens mais visitadas