Receita

No
beijo
em
três
atos

Os olhos
desligam o mundo

Primeiro

Enquanto
os lábios
parem universos inteiros
ao se tocar

A mão segura a nuca
e o abraço quer que nunca
mais
haja uma interrupção

É um se perder num se achar
absurdo
em que  respiração e a língua
derrubam felizes
tudo

Absolutamente tudo que tentar pensar

E aí é só esperar vencidos
que o Deus que ganhou cada um dos nossos sentidos
não tenha pena dos ais

Que a loucura não sare nesse mundo
e que ninguém acorde curado dele

Nunca

Mais

Comentários

Postagens mais visitadas