O poema que você fez

Ar
Braço
respiração colada
pernas misturadas
ponta dos dedos dengando o mundo

A voz num sopro
o calor do outro
o boiar em um mar sereno
o corpo querendo
apenas amar

Os cílios fazendo cócegas na pele
o universo parado
o tempo encaixado
em algum lugar

E essa vida
que no meio da chuva
estacionou
para nos observar.

Comentários

Postagens mais visitadas