No meio da rua

Esse mês
sujaram o meu coração de lama
partiram um avião de pessoas com uma latinha
atiraram, jogaram granadas e se explodiram
Esse mês de Novembro
Os intermediários de Deus
e do capital em todas as suas cores
venderam de novo a solução do dinheiro para todas as dores
apagar sempre o fogo com gasolina
e a nossa eterna salvação pelas armas
Não cansam
Tem estoques de ódio
para ir até o fim
De quê? Eu não sei
Olho por olho lá longe
ou aqui perto
todo "santo" dia invadem e eliminam
envenenam e radicalizam o desrespeito
não só aos outros
mas aos seus próprios
e a mim como ser humano
Como fazem seus acordos surdos com os direitos que são de todos?
Esse mês vermelho
sangrado a água
as ruas e os ares
Ainda não acabou direito.

Comentários

Postagens mais visitadas