Poema duro

A musa veio hoje

Com um monte de letras sem flores

Nenhum som

Olhos de mundo

Num silêncio duro

Sem tradução

Cru

Jogou na minha cara

Que não existem palavras inocentes

Seguiu minha veia

E derramou

No meu coração

Que não haverá sobreviventes 

E sem permissão antes que pudesse dizer nada

Desencrostou do vazio da página

A dor de existir

Manifestada

Em pretos sinais

Em um simples papel nu.

Comentários

Postagens mais visitadas