Barquinho

Ainda dá tempo da gente botar o barquinho no ar
e fugir

Seguir o vento e os seus palácios
misturar as veias

Nadar nus

Ainda dá tempo

De imprensar areias
tatuar sereias
captar estrelas
apanhar sentidos sem absolutamente medo algum

Venha amor

Tocar a lua,
nadar em ruas cheias de astros

Rir

Fazer milhões de fotos flutuadas das formigas humanas da terra
suas bandeiras de pó cercando os vazios castelos do tempo

Venha ser dona de todo esse céu

Tomar posse da festa de criança que é nomear cada centelha de nossas fantasias

Amar no meio do mar

Reinar

Serena em todas as nossas posses

No real mundo da Utopia

Comentários

Postagens mais visitadas