O que nos faz bons ou maus

Hoje não almocei
o bebedouro estava sem água
o mundo de cabeça para baixo
as pessoas mais tristes
e a nossa burocracia querendo mais e mais relatórios

Atirei mil vezes contra o monstro e ele não morreu

Fechei o vidro no vendedor de pastilhas de hortelã na sinaleira pedindo qualquer moeda

Deixei meus olhos nas famílias inteiras morando nas ruas da cidade baixa

Chorei com os fantasmas comendo ervas e pedras na 7 portas

Lamentei a nossa falta de rumo

A fome, o frio, a sede e a vergonha no coração de quem ainda se importa

A inundação diária dos nossos votos e bandeiras

O 2016 que não quer terminar

Urano e Júpiter e a queda de tantas barragens

Com a gente ainda lavando os sonhos

Fui para casa pesado

Mas desliguei o carro

Feliz de ainda poder criar um universo inteiro.

Comentários

Postagens mais visitadas