Quando acabar o mundo me acorde

Não vou mais para Aracaju em 2016
Não lancei meu livro
Não naveguei naquele barquinho a vela

Não me perdi nas ilhas

Quando o mundo acabar me acorde

Não voltei a chapada, Lisboa, Ouro Preto, Madri, Moreré ou Igatu
Não fiz da minha casa aquele lugar artístico-alternativo-auto-sustentável-autoral e mistico
Não plantei minha horta na lage
Não renasci o suficiente

Mas desaguei meu amar para além das palavras

Não plantei árvores
Não tive filhos
Não fiz trabalho voluntário
Não voei de bicicleta com as crianças
Não mergulhei no parquinho de bolinhas

Apenas fiz pessoas felizes

Combati, ganhei, me dividi e me feri muito
Chorei várias vezes com a dor do mundo
Pensei demais
Amei de maneira insuficiente

Doei meu coração menos do que gostaria
Errei em me arriscar pouco

No furacão destes 365 dias que não quer acabar eu ainda tenho muito o que fazer

Quando este mundo de 2016 acabar me acorde

Há ainda muito acaso esperando para eu viver
muitos sonhos para plntar
e previsões e metas que tenho de desobedecer...

Comentários

Postagens mais visitadas