Relatório

Caros,

Não há fotos

A poeira está em todos os cantos

Na caixa desses dias
(Trezentos e cinquenta e poucos até agora)
Coube tanta radicalização binária
que a lista das coisas a serem levadas
nesse caminhão de mudança
nos deixou quebrados

Ainda estamos arrumando lá dentro
todos os nossos encantos, sonhos, diversidade,
desigualdades, sistemas arcaicos
e pecados

A realidade continua indiferente a ideologia, a cor e as fações partidárias
Na lama
da nossa politica triste
apenas a posição dos caranguejos é o que vai sendo trocada

Mas tenho a relatar que sobrevivemos...

Nos reinventamos e estamos de novo decifrando a ordem do caos

Reciclando fantasias durante o desfile sob a chuva do ano novo...

Está a vida mais pesada por aqui, eu admito

Mas somos maiores que esse 2016 vampirizado e todos os seus golpes

A nossa alma teimosa grita música, arte, ironia contra os deuses

E eu assino em baixo aqui no finzinho

Com meu coração ainda puro que ainda será lavado com muitas utopias.

Comentários

Postagens mais visitadas