Louca

Ela,
baixou na minha mão
e me disse que as estrelas do mar vem do céu
o trovão vem da convulsão da poluição da terra junto com a galaxia
sentida pelas nuvens
balançando as placas tectônicas e o firmamento
soltando os astros
que caem

Tudo explicado pela física poética quântica ali na mesa em que era catado o feijão

Ela não sabia que sua mãos selecionavam de grão em grão montinhos de realidades

A lúcida me deixou pensando

Se não somos nós pequeníssimos loucos
sendo catados pelas mãos de deuses roucos
de tanto gritar pela nossa sanidade

Separados de um lado para o outro da realidade
enquanto conversam sobre os universos
ao seu bel-prazer

Agrupados ou separados por detalhes
nesse plano que viemos alimentar.

Comentários

Postagens mais visitadas