Primavera em Abril

Corto limão
com a faca
separo as metades
esmago devagar
recolho o sumo
misturo a água gelada ao copo de vidro

Sinto minhas pernas irem para a mesa
mas eu ainda estou na pia

A TV ligada vomita
a rede dispersa
a vida pesa
só o blues rasgado salva
meu coração

Me identifico exatamente
com quase nada

Estranhamente estou e não estou aqui

Minha terra está tentando se reagrupar de greve em greve
essa de agora é geral
as pessoas não aguentam mais serem enroladas, enganadas, intimidadas, espancadas,
presas
e tratadas como gado
em curral

A politica é um filme de terror

O presidente é um Frankenstein
os deputados, juízes e senadores zumbis
e o sangue é o nosso

Sei exatamente o que não quero
e o que quero não é isso aí

Comentários

Postagens mais visitadas