Recado para o dia

Viroses
lixo
rinite
corte no dedo
olhar preso ao umbigo
chuva intermitente
som do vizinho estridente
gatos marcando território na área da casa
corrupção
exames
Tv vazando politicagem
dor de ouvido
ensino a distância
circulo social
atentados
burocracia
pouco dinheiro
pouco tempo
aceleração contínua
maratona de montanhas russas de agonias

No meio de todas essas falas
não sei se é o humor ou o amor ou o calor ou o valor do acaso de não ser binário que me salva
talvez seja o meu olhar em marte
o meu tropeçar na arte
que transforma os menos acreditados
pedaços do dia em oxigênio
próprio para alma

Certas humanidades do acaso
vestem o mundo de uma cor que eu juro
nem lembrava mais que existia...

Comentários

Postagens mais visitadas