Para que serve um poema

Nadou devagar no livro

Sem pressa

Deixou as roupas

e a procura de sentido

nas margens

Boiou

junto com as letras

Feliz e perdido

No oceano aberto entre as palavras

Olhou
no céu
os deuses passando as páginas
mexendo os olhos
para acompanhar suas criaturinhas escritas
como se estivessem lendo suas almas

Respirou profundamente
e feita a luz
soprasse o pó da arte
dentro de si mesmo
gestando mundos

Amou

Profundamente
desfazer-se
em mais um dia.

Comentários

Postagens mais visitadas