Minicertezas

As vezes a nave dos meus dedos é torta
e não há no papel porta
para eu entrar

Quem sabe a razão seja uma parede
uma roupa que atrapalha o nado

Talvez seja sem ela
descalço e salgado
nu de certezas
que eu chegue na ilha do outro lado

Quem sabe eu seja pouco para caber meu coração

Quem sabe essa dança líquida de letras
essa psicografia
essa agonia
não tenha tradução
e eu é que tento dar sentido

Quem sabe somos livros
e o mistério é que digita a alma

Quem sabe não importa entender

Quem sabe se eu amar
mais e mais até enlouquecer

Eu me encontre

Quem sabe
seja só com olhos de final de caminhada
sem julgamentos
que eu seja o melhor do que eu possa ser

Quem sabe...

Comentários

Postagens mais visitadas